Iniciativa internacional, a campanha Outubro Rosa desperta a conscientização sobre o combate ao câncer de mama. Doença é uma das que mais afeta mulheres no mundo.

A campanha Outubro Rosa é uma mobilização internacional contra o câncer de mama. Sua finalidade é alertar sobre a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce da doença, de modo a aumentar as chances de cura e reduzir a mortalidade.

O processo de conscientização acontece a partir de uma série de iniciativas, como debates, apresentações sobre o tema e eventos de diferentes naturezas, desenvolvidos por instituições públicas e privadas.

Celebrada anualmente desde a década de 1990, a campanha Outubro Rosa surgiu nos Estados Unidos e começou a ser realizada no Brasil em 2002.

Diante disso, a cor rosa passou a caracterizar as ações durante o período, que se intensificam especialmente no universo digital. Como? A partir de publicações em sites institucionais, blogs e mídias sociais. O laço cor-de-rosa, mundialmente reconhecido, passou a simbolizar a luta contra o câncer de mama.

Neste artigo, abordaremos a importância do combate à doença. Confira!

Estetoscópio com fita da campanha outubro rosa

Diagnóstico precoce: por que é importante?

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) estimam que, a partir de 2018, cerca de 59.700 novos casos de câncer de mama sejam diagnosticados no Brasil a cada ano.

Isso significa que, a cada 100 mil mulheres, cerca de 56 desenvolvem a patologia. O quadro coloca a neoplasia como a segunda que mais afeta mulheres no mundo. Fica atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

A campanha Outubro Rosa, portanto, chama a atenção para o fato de que a doença apresenta alta probabilidade de cura se descoberta em estágio inicial, quando é assintomática.

Ainda assim, parte considerável dos diagnósticos acontece tarde. Na América Latina, 150 mil pessoas descobrem ter câncer de mama na fase metastática – momento em que já se espalhou para outros órgãos – anualmente. O fato reforça a necessidade de ações de conscientização.

Mulheres unidas pela campanha Outubro Rosa

Origens da campanha Outubro Rosa

Antes de o Congresso norte-americano oficializar outubro como o mês de prevenção do câncer de mama, vários Estados dos EUA empreendiam ações isoladas de combate à doença e estímulo à realização do exame de mamografia durante este mês.

Além disso, o instituto Susan G. Komen Breast Cancer Foundation foi fundado em 1982, para gerar e disseminar informações sobre a condição. A entidade deu uma contribuição inicial à oficialização do Outubro Rosa, com a primeira “Caminhada pela Vida”, realizada em Dallas no ano seguinte.

O evento representou o início de uma ação mais direcionada e contou com 800 participantes. Mais tarde, em 1991, as fitas cor-de-rosa foram distribuídas pela primeira vez a todos que compareceram à caminhada e se tornaram o símbolo da campanha. Desta vez, ela foi realizada em Nova Iorque.

Com o passar do tempo, os adereços passaram a ser utilizados para enfeitar locais públicos durante eventos e sensibilizar a população para a causa nesta época do ano.

A primeira ação do Outubro Rosa no Brasil, para prevenção do câncer de mama, aconteceu em 2002, quando o obelisco do parque Ibirapuera, em São Paulo, recebeu uma iluminação rosa.

Nos últimos dez anos, as mobilizações acabaram se tornando mais frequentes e passaram a ser protagonizadas por entidades públicas e privadas. A ideia sempre é a de destacar a importância da prevenção.

O que causa câncer?

Esta doença aparece quando uma célula do corpo sofre mutações e começa a se multiplicar de forma desordenada. Passa, então, a invadir regiões em que não deveria estar e driblar mecanismos de defesa que a destruiriam.

Diferentes áreas do corpo estão passíveis a tal proliferação descontrolada; inclusive, as mamas. As células cancerígenas ocupam o lugar das saudáveis pouco a pouco, comprometendo o funcionamento do órgão afetado.

A complexidade do tratamento é maior em caso de metástase. Por isso, a campanha Outubro Rosa foca na prevenção do câncer de mama durante o estágio inicial.

A alteração na célula é provocada por um comprometimento no DNA, que pode ser hereditário, acontecer espontaneamente ou ser gerado por fatores externos

Entre eles, estão: exposição excessiva ao sol, obesidade, cigarro, vírus e consumo de determinados alimentos.

Exame de mamografia durante campanha Outubro Rosa

O que é mamografia e quando fazer?

A mamografia é um exame rápido, capaz de detectar tumores nas mamas. Não invasivo, o procedimento capta imagens do seio feminino por meio do mamógrafo.

O aparelho utiliza o mesmo tipo de radiação do raio-X tradicional. Contudo, a projeção dos feixes considera a anatomia das mamas.

Quando a avaliação indica uma anormalidade, o médico solicita uma biopsia para a confirmação da suspeita. Também são prescritos outros exames mais específicos, se necessário.

Alguns médicos indicam que mulheres a partir dos 40 anos realizem a mamografia anualmente. A postura é defendida pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Por outro lado, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) recomenda o exame apenas entre os 50 e os 69 anos, com realização a cada dois anos, caso não haja alterações. A preocupação seria de que resultados falso-positivo levassem a tratamentos desnecessários.

Portanto, quanto à prevenção do câncer de mama, o ideal é consultar um profissional de saúde que ajude a estipular a estratégia mais eficiente para cada paciente. Para isso, são considerados aspectos pessoais e histórico familiar.

Outros sintomas do câncer de mama

Além da detecção do nódulo na mama, que pode ser identificado também com o autoexame, bastante difundido pela campanha Outubro Rosa, outros sintomas podem surgir na medida em que a doença se desenvolve. No entanto, a condição é assintomática no estágio inicial.

Alguns exemplos são alterações no formato da mama; vermelhidão, dor e calor na região; pele com aspecto semelhante à casca de laranja; coceira frequente na aréola e no mamilo; liberação de sangue e secreções pelo mamilo; nódulos e inchaços nas axilas; entre outros.

Mulher segura fita da campanha Outubro Rosa

Ações da campanha Outubro Rosa

As prefeituras, entidades de assistência à mulher e instituições privadas de diversas cidades realizam exames gratuitos, caminhadas, cursos e eventos de conscientização durante todo o mês de outubro.

Os dois lados, neste caso, são muito importantes. Tanto o das instituições, que promovem iniciativas de conscientização, quanto o dos cidadãos, que participam e apoiam a causa, mobilizando pessoas próximas na prevenção do câncer de mama.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) e as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) distribuídas pelo país desenvolvem várias ações ao longo do mês, como mutirões de mamografia e palestras sobre a importância do autoexame nas mamas.

Prontuário global do paciente 

Como apontamos antes, o médico deve acompanhar as características e histórico da mulher. Assim, é capaz de recomendar com segurança a idade para se começar a fazer mamografia e a periodicidade do exame.

Desta forma, ter acesso ao prontuário global da paciente permite um conhecimento maior sobre seu estado de saúde e, por conseguinte, um atendimento mais eficiente.

O Hygia é um sistema para gestão de saúde com integração ao prontuário global de cada paciente. É recomendado para uso em UBSs e UPAs. Solicite uma demonstração gratuita!

Gostou do artigo? Então, deixe a sua opinião nos comentários e siga também as nossas mídias sociais!

Categorias: Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *