Novembro Azul: Entenda como a campanha surgiu

O mês de novembro chegou trazendo a conscientização sobre a prevenção de doenças que atingem os homens, principalmente o câncer de próstata.

A próstata é uma glândula que só o homem possui. Localizada na parte baixa do abdômen, é um órgão pequeno com formato de maçã e é situado abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso).

Sua função é produzir parte do sêmen, que é um líquido espesso que contém os espermatozoides liberados durante o ato sexual.

A campanha “Novembro Azul” nasceu no Brasil em 2008, idealizada pela fundadora e presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira.

Porém, o lançamento só ocorreu em 2011. A inspiração para a campanha Novembro Azul veio do movimento australiano Movember (Moustache / November, em tradução: Bigode / Novembro) e, também, pela campanha Outubro Rosa voltada à prevenção e conscientização sobre o câncer de mama.

Com grande repercussão, a ideia da campanha Novembro Azul logo foi abraçada pela sociedade, ONG’s, empresas, instituições governamentais, firmando-se no calendário anual.

Por falta de informações corretas e adequadas, os homens em geral terminam criando barreiras e paradigmas intransponíveis, não se cuidando.

A recomendação para a realização dos exames preventivos masculinos é a partir dos 50 anos de idade.

Porém, quando o paciente tiver algum parente de 1º grau com histórico de câncer de próstata, a indicação é que os exames preventivos sejam realizados a partir dos 45 anos de idade.

Os exames básicos devem ser repetidos uma vez por ano.

Novembro Azul é inspirado pelo Outubro Rosa

Outubro é o mês caracterizado pela cor rosa, fazendo referência à conscientização para prevenção das doenças que acometem as mulheres, principalmente o câncer de mama.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os tipos de câncer que afetam o sexo feminino.

Em 2019, foram estimados 59.700 novos casos de câncer de mama, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

A pergunta predominante é: O câncer tem cura?

Pode-se dizer que o fator determinante para esta condição é o diagnóstico. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores são as chances de sobrevida e com maior qualidade.

Então, para que o diagnóstico seja realizado de forma precoce, a população masculina precisa adotar o hábito de ir às consultas médicas e fazer os exames solicitados.

Saiba quais exames médicos são essenciais

O profissional de saúde é a pessoa certa para solicitar exames e procedimentos. É de extrema importância que você vá para a consulta médica e tire todas as suas dúvidas.

O médico, através de exames físicos e da anamnese (conversa em que irá levantar dados clínicos), solicitará os procedimentos necessários.

Alguns exames, como os listados abaixo, deverão ser realizados com frequência para o monitoramento da saúde masculina. Confira:

Verificação da Pressão Arterial;
Hemograma completo e testes de urina;
Teste de glicemia para a prevenção de diabetes;
Atualização da carteira vacinal;
Verificação do perímetro abdominal e testes de Índice de Massa Corpórea (IMC).

Agora que você já conhece os exames básicos de rotina, vamos falar sobre os exames voltados à prevenção do câncer de próstata. Dentre eles, estão:

Toque retal;
 Análise sanguínea do PSA, que é um marcador tumoral. É orientado ao paciente não realizar o exame de toque retal 72 horas antes da coleta, evitar relações sexuais e evitar prática de hipismo ou motociclismo.

A dosagem do marcador PSA deverá ser feita e acompanhada pela população masculina com mais de 50 anos de idade.

O toque retal é realizado pelo médico urologista ou proctologista, durante a consulta médica no próprio consultório.

A duração do exame é de aproximadamente 1 minuto e o paciente não sente dor. Este exame avalia o tamanho da próstata ou se parece mais dura do que deveria.

Outros exames também podem ser solicitados, como, por exemplo:

Ultrassonografia Transretal, que tem como objetivo a avaliação da glândula e identificar alterações na sua estrutura, sendo muito útil no diagnóstico do câncer de próstata ainda em início de desenvolvimento.

Medição do jato de urina, que avalia a força do jato e quantidade de urina em cada micção. Quando há alguma alteração na próstata, o jato fica mais lento e fraco.

Exame de urina de laboratório PCA3 – é um exame específico para avaliar se existe câncer de próstata. Ele também mostra a agressividade do tumor, sendo útil para a escolha do tratamento adequado.

• A Biópsia é indicada para a confirmação do diagnóstico de alterações na glândula prostática, como câncer ou tumores benignos. No procedimento, é retirado um pequeno pedaço da glândula para enviar ao laboratório para análise.

Novembro Azul: Dados de câncer de próstata no Brasil

Incidência de neoplasia masculina

Câncer de mama x Câncer de próstata

O número de câncer de próstata incidente na população masculina, infelizmente, ainda é alarmante.
Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que ele é o segundo tipo mais comum entre os brasileiros, com aproximadamente 68 mil novos casos e 13 mil mortes por ano.

A patologia acomete principalmente homens mais velhos. Cerca de 6, em cada 10 casos, são diagnosticados em homens com mais de 65 anos, sendo mais difícil o acometimento de homens mais jovens.

Para cada ano do biênio 2018/2019, o INCA estima que sejam diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil.

O ranking aponta a prevalência do câncer de próstata liderando, seguido apenas pelo câncer de pulmão. A cada 41 homens, pelo menos 1 morrerá em decorrência do câncer de próstata.

Embora seja uma doença grave, a maioria dos pacientes não falece em sua decorrência.

Conheça os fatores de risco para o câncer de próstata:

Entre eles, podemos destacar o histórico familiar da doença, raça – já que homens negros têm maior incidência da condição – e a obesidade.

A forma de prevenção contra o câncer de próstata é o investimento em dietas ricas em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, apostando em menor teor de gordura animal, principalmente.

Um cardápio balanceado ajuda na redução do risco de câncer e outras doenças crônicas.

Claro que não poderíamos deixar de mencionar a prática de atividades físicas.

Realizar, pelo menos, 30 minutos de atividades físicas diariamente, manter o peso adequado à altura, não fumar e diminuir a ingestão de álcool são pontos que merecem destaque.

Saiba onde realizar o tratamento pelo Sistema Público de Saúde (SUS)

O atendimento em oncologia também é ofertado pelo Sistema de Saúde Pública (SUS). O paciente pode buscar assistência médica nas Unidades de Assistência de Alta Complexidade (Unacon), ou, Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon).

Estas unidades deverão oferecer aos pacientes com câncer assistência integral, humanizada e especializada, atuando no diagnóstico, estadiamento e tratamento da doença.

Confira aqui a lista com os locais que oferecem atendimento oncológico pelo SUS.

Agora que você já conhece como os exames são feitos e viu que não dói para realizá-los, procure seu médico de confiança e agende seu check-up, ok?

Até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *