A CID, ou Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, é uma das ferramentas epidemiológicas mais utilizadas no meio médico. Sua finalidade principal consiste em acompanhar a incidência e prevalência de doenças, a partir de um padrão adotado universalmente.

Publicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a CID estabelece a classificação e codificação das enfermidades e de uma vasta variedade de sinais, sintomas, aspectos anormais, assim como causas sociais e externas para ferimentos e doenças.

A tabela é utilizada por médicos, pesquisadores, gestores, empresas e organizações para classificar doenças em registros de saúde de todo o mundo. Uma categoria única é atribuída a cada estado de saúde. As categorias – que possuem códigos correspondentes, de até 6 caracteres – podem incluir um conjunto de enfermidades semelhantes.

cid

Como a CID é utilizada?

A CID está traduzida em 43 idiomas diferentes e presente em mais de 115 países. É usada, em âmbito global, para estatísticas de morbidade e mortalidade, sistemas de reembolso e de decisões automáticas de suporte em medicina. Permite a obtenção de um panorama universal no que diz respeito às questões de saúde.

Periodicamente, a classificação é revista. Hoje, encontra-se em sua décima edição (CID-10). A partir dela, médicos e profissionais de saúde conseguem entender melhor os motivos por que as pessoas adoecem e morrem, de modo a buscar formas para combater estas causas e salvar vidas.

A décima versão da CID foi publicada em 1992. Como realiza a padronização na nomenclatura das enfermidades, a ferramenta permite uma comunicação mais efetiva entre profissionais de saúde e até mesmo órgãos governamentais. Podemos ter como exemplo a Previdência Social, que concede benefícios em razão de algumas doenças.

Também é possível que médicos utilizem a CID para encobrir o nome de alguma enfermidade a pedido do paciente, a fim de evitar situações desconfortáveis ou até discriminação.

É preciso considerar ainda que o nome de uma doença pode ser diferente em países distintos, de acordo com o idioma, o que pode gerar inconvenientes nas tentativas de tradução, algo que a CID também ajuda a evitar.

cid

Aplicação da CID 10 em pesquisas

O uso da CID 10 em pesquisas facilita, por exemplo, a identificação da incidência de problemas de saúde em determinados locais ou entre grupos de pessoas específicos.

Deste modo, pode-se calcular com maior precisão taxas de morbidade (quantidade proporcional de pessoas que desenvolvem uma enfermidade específica em uma determinada população) e mortalidade relacionadas a uma doença.

Por meio deste levantamento, é possível tanto verificar os fatores externos que contribuem para o aparecimento de certas epidemias e endemias quanto orientar as autoridades a tomarem medidas educativas, preventivas e de combate destinadas às enfermidades com incidência mais acentuada.

Códigos da CID 10

A CID 10 segue uma hierarquia de capítulos, que estão subdivididos em grupos, que contêm categorias. As categorias, por sua vez, contêm subcategorias, que possuem um nível de detalhamento maior.

Em cada capítulo da CID 10, está apresentado um grupo de doenças semelhantes ou provocadas por um mesmo fator. Confira a seguir quais são estes grupos de códigos:

• A00-B99: Algumas doenças infecciosas e parasitárias.
• C00-D48: Neoplasmas (tumores).
• D50-D89: Doenças do sangue e dos órgãos hematopoéticos e alguns transtornos imunitários.
• E00-E90: Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas.
• F00-F99: Transtornos mentais e comportamentais.
• G00-G99: Doenças do sistema nervoso.
• H00-H59: Doenças do olho e anexos.
• H60-H95: Doenças do ouvido e da apófise mastoide.
• I00-I99: Doenças do aparelho circulatório.
• J00-J99: Doenças do aparelho respiratório.
• K00-K93: Doenças do aparelho digestivo.
• L00-L99: Doenças da pele e do tecido subcutâneo.
• M00-M99: Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo.
• N00-N99: Doenças do aparelho geniturinário.
• O00-O99: Gravidez, parto e puerpério.
• P00-P96: Algumas afecções originadas no período perinatal.
• Q00-Q99: Malformações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas.
• R00-R99: Sintomas, sinais e achados anormais de exames clínicos e de laboratório, não classificados em outra parte.
• S00-T98: Lesões, envenenamentos e algumas outras conseqüências de causas externas.
• V01-Y98: Causas externas de morbidade e de mortalidade.
• Z00-Z99: Fatores que influenciam o estado de saúde e o contato com os serviços de saúde.
• U00-U99: Códigos para propósitos especiais.

Uso da CID em nível regional

Há softwares de gestão da saúde, como o Hygia, que possibilitam que os diagnósticos dos pacientes sejam realizados de maneira automatizada não só pelo nome, mas também pelo código da doença.

Portanto, as prefeituras que utilizam o Hygia nas unidades de saúde do SUS conseguem identificar as enfermidades com maior incidência em nível regional, até mesmo por bairro.

cid

CID 11

A nova edição da classificação foi apresentada em maio de 2019 à Assembleia Mundial de Saúde e entrará em vigor a partir de 1º de maio de 2022. Entre as novidades apresentadas, está a inclusão do uso abusivo de jogos eletrônicos (gaming disorder), na seção de transtornos que podem causar vício.

O desenvolvimento da CID 11 visou simplificar o uso em diferentes idiomas, com uma plataforma de tradução central que garante a integridade das informações para as línguas traduzidas. Pela primeira vez, a classificação é totalmente eletrônica.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *