O QUE É SARAMPO?

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um Vírus RNA com um sorotipo, pertencente ao gênero Morbillivirus, na família Paramyxoviridae. O único hospedeiro desse vírus é o homem.

A doença é infectocontagiosa, apresentando alto teor de contágio. Sua transmissão é parecida com a da gripe, ocorrendo de pessoa para pessoa, através de gotículas de saliva e secreções presentes na tosse, fala e espirro.

Entre as características do sarampo, estão a febre, inflamação das mucosas do trato respiratório e irritação dos olhos, que podem ser confundidas com as de uma gripe forte.

Porém, a diferença está na presença de manchas brancas na parte interna da bochecha, acompanhadas de mal estar, tosse persistente e as famosas manchas vermelhas na pele, que podem aparecer em torno de 3 a 5 dias, se espalhando pelo corpo.

A persistência da febre é um sinal de alerta, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade. O período de transmissão da doença varia de 4 a 6 dias antes do aparecimento da erupção cutânea (manchas na pele) a 4 a 6 dias após seu aparecimento.

CONHEÇA OS DADOS SOBRE O SARAMPO NO BRASIL EM 2019

O ano de 2019 teve um número expressivo de casos confirmados de sarampo no Brasil. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, entre 9 de junho e 31 de agosto, o país notificou 20.292 casos, com 15.430 em investigação e 2.109 descartados.

A maioria dos casos confirmados está concentrada no estado de São Paulo (98,37%), representando 2.708 registros da doença, seguido do Rio de Janeiro, com 15.

Dados levantados pelo Ministério da Saúde apontam aumento de 18% nos casos de sarampo no Brasil.

Pernambuco vem em terceiro lugar, com 12 confirmações.

Confira a lista de estados com casos confirmados:

Distrito Federal              – 3 confirmações;
Goiás                                     – 1 confirmação;
Paraná                                    -1 confirmação;
Maranhão                           – 1 confirmação;
Rio Grande do Norte    – 1 confirmação;
Espírito Santo                  – 1 confirmação;
Bahia                                     – 1 confirmação;
Sergipe                                  -1 confirmação;
Santa Catarina                – 7 casos confirmados
Piauí                                       – 1 confirmação.

Os casos estão distribuídos em 120 municípios.

CONTROLE DO SURTO DE SARAMPO

Para controlar o surto, o Ministério da Saúde já destinou 1,6 milhão de doses extras da vacina tríplice viral a todos os estados, visando a garantia da dose extra contra o sarampo em todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

Foram destinadas 960.907 mil doses para os estados que estão em situação de surto ativo de sarampo. O estado de São Paulo concentra 99% dos casos e recebeu 56% das doses da vacina.

Como medida de segurança, o Ministério da Saúde adquiriu 28,7 milhões de doses adicionais de vacinas contra o sarampo, que garantirão o abastecimento do país até 2020.

QUAL É A VACINA CONTRA O SARAMPO?

A prevenção do sarampo é feita através de um programa nacional de vacinação. A primeira dose é aplicada em crianças ao completarem 12 meses de vida. Já a segunda dose é aplicada nas crianças ao completarem 15 meses, tendo duração para a vida inteira.

Devido ao surto da doença no Brasil, alguns estados estão realizando a aplicação da dose extra, em todas as crianças de seis meses a menores de um ano.  Saiba mais!

Existem três tipos de vacinas contra o sarampo:

1-Dupla viral: Protege dos vírus do sarampo e da rubéola. Pode ser utilizada para o bloqueio vacinal em situação de surto;

2-Tríplice viral: Protege dos vírus do sarampo, caxumba e rubéola;

3-Tetra viral: Protege dos vírus do sarampo, caxumba, rubéola e catapora.

ENTENDA COMO A VACINA CONTRA O SARAMPO AGE NO NOSSO ORGANISMO

Você sabe como a vacina realmente age no nosso organismo? Continue lendo nosso post que vamos explicar.

As vacinas estimulam o sistema imunológico à produção de anticorpos, que podem combater doenças infecciosas, tornando a pessoa imune às patologias em combate.

Sempre que entra em contato com algum vírus ou bactéria, o nosso sistema imunológico cria anticorpos específicos.

Por exemplo, se o nosso organismo tiver contato com o vírus do sarampo, ficaremos doentes apenas uma vez, pois o sistema imunológico terá produzido anticorpos impeditivos de que o vírus volte a infectar futuramente.

O que a vacina faz é a promoção do estímulo do organismo à produção de anticorpos contra determinada doença, sem precisar adoecer.

É feita a apresentação da bactéria ou vírus ao sistema imunológico, para que haja um reconhecimento com produção de anticorpos, mas sem o desenvolvimento da patologia em si.

Geralmente, uma vacina protege apenas contra um único germe. Porém, existem vacinas conjuntas, correspondentes à administração de duas ou mais em uma única injeção.

Podemos citar como exemplo a tríplice viral, composta por três vacinas em uma única administração, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

Vale ressaltar que nem toda vacina pode ser aplicada em conjunto.  

VACINAS INATIVAS

Você já ouviu falar em vacinas com vírus “mortos”? Pois bem. Tratam-se de vacinas inativas, que são feitas com germes mortos ou apenas partes dele.

Elas são consideradas mais seguras, porém, costumam apresentar uma capacidade de imunização mais baixa que as ativas, necessitando da aplicação de doses de reforço.

As vacinas com partes dos germes costumam ter entre 1 e 21 partes.

CONHEÇA AS VACINAS COM VÍRUS OU BACTÉRIAS INATIVAS

Pólio;
Cólera;
Raiva;
Influenza (Gripe) – Também há vacinas com vírus vivo.
Hepatite

A VACINAS COM VÍRUS OU BACTÉRIAS ATIVAS:

Hepatite B
Meningite
HPV, entre outras patologias.

Acompanhe nossas redes e fique por dentro de tudo o que acontece no mundo da saúde!

Até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *