Processo de Acolhimento na SaúdePowered by Rock Convert

Um dos desafios enfrentados pelos gestores da saúde, refere-se à glosa hospitalar. Ou seja, o não pagamento, por parte da operadora, de procedimentos, valores, materiais, medicamentos, diárias e demais serviços.

A glosa hospitalar também é contextualizada no setor público. Neste artigo abordaremos o seu conceito, causas e os tipos de glosas existentes. Conheça também o funcionamento do SIGTAP – Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, OPM e Medicamentos do SUS.

Continue conosco!

Glosa Hospitalar: Entenda o seu significado

A glosa hospitalar pode se tornar um problema complexo para o gestor da instituição de saúde tanto do setor privado, quanto no público. Sim, ela também existe no Sistema Único de Saúde (SUS) e é relacionada ao faturamento da unidade de saúde.

Consiste em um ajuste de uma cobrança apresentada por um serviço prestado, podendo ser maior ou menor do que o realmente devido.

O departamento financeiro é o responsável pelo faturamento da instituição de saúde. Caso aconteça algum erro, as consequências pode ser complexas. É preciso que seja repassado exatamente o valor gasto com a assistência ao paciente.

As glosas hospitalares também podem ser conceituadas como cancelamentos, recusa parcial ou total de um orçamento, além do não faturamento de procedimentos, valores, materiais, medicamentos, diárias e demais serviços. Por isso, merecem atenção porque impactam diretamente o cotidiano da gestão.

Leia também: Processos hospitalares: Confira 5 dicas para melhorar a sua gestão!

Como evitá-la?

Para evitá-la, é necessário identificar a causa do problema. Entendendo o gargalo existente, o gestor tem a possibilidade de tomar decisões mais acertadas. Contar com um sistema de gestão da saúde é uma excelente alternativa para evitar possíveis erros causadores da glosa hospitalar.

Leia também: Sistema de gestão em saúde: Como implantar em municípios pequenos?

Por meio da automatização dos processos, é possível lançar dados de forma eletrônica e, sendo assim, os gestores têm a oportunidade de acessá-los sempre que for necessário, além da redução de possíveis erros que possam ocorrer nas etapas feitas de forma manual.

A utilização do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) também é de extrema importância para evitar a glosa hospitalar.  Além de conter os dados clínicos do paciente, no PEP ficam registrados todos os procedimentos pelos quais ele passou, além dos materiais, medicamentos, exames, leitos/internação utilizados por ele.

Dentre os benefícios da utilização do PEP, podemos citar a mitigação de erros e falhas, praticidade de acesso, redução de custos, segurança do paciente, agilidade e humanização assistencial.

Outro aspecto de suma importância que merece atenção por parte dos gestores, é a promoção de auditorias internas e treinamentos, de forma que seja possível a detecção de quaisquer erros que possam surgir.

Através da auditoria interna, também é possível fiscalizar algumas etapas efetuadas pelos profissionais, além do fornecimento de informações precisas em caso de ocorrência de glosa.

Lei também: Indicadores de saúde: O que são e quais os principais tipos?

Como falamos, promover treinamentos para os colaboradores também é importante. Por meio das capacitações ofertadas, eles terão a oportunidade de cumprir formalidades burocráticas de forma positiva e proativa. Esses treinamentos deverão ser voltados tanto ao setor financeiro, quanto ao administrativo.

Leia também: Experiência do Paciente: Confira 5 dicas para melhorá-la!

Glosa Hospitalar

Glosa Hospitalar: Conheça os tipos e as causas

Agora que entendemos o conceito e sabemos como evitá-la, vamos conhecer os tipos de glosa hospitalar que são classificadas em: Administrativa, Técnica e Lineares. Continue conosco!

Glosa Administrativa

Geralmente, este tipo acontece devido à falhas no preenchimento de guias, erros operacionais no momento do faturamento, equívocos no momento da análise de conta do prestador, entre outros. Caso aconteça algum erro durante este processo, pode haver a recusa do pagamento. Também pode ocorrer quando os valores não coincidirem com o valor do contrato.

Glosa Técnica

A não inserção de forma correta das informações completas no prontuário eletrônico do paciente, ou, ser desatenção com o nome do profissional, também são motivos para a ocorrência da glosa técnica. Este tipo de glosa, geralmente é ocasionada devido a algum procedimento realizado pelo profissional.

Glosa Linear

É necessário que haja uma apuração precisa por parte dos gestores, acerca processos como gastos, pagamentos efetuados, indicadores operacionais, além de uma conferência nos sistemas de pagamento para saber o motivo de sua ocorrência. Geralmente são provocadas pelo próprio convênio no caso da rede de saúde não-pública.

Conheça o SIGTAP

O Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, OPM e Medicamentos do SUS (SIGTAP), foi implementada em janeiro de 2008, unificando as tabelas de procedimentos ambulatoriais e hospitalares dos sistemas SIA e SIH.

Existem duas formas de  consultar os procedimentos cadastrados no SIGTAP:

1. Por meio de uma consulta on-line na página do SIGTAP

2. Realizando o download do aplicativo do sistema para desktop. O aplicativo multi-plataforma permite a consulta dos procedimentos cadastrados sem necessidade de conexão a internet.

Neste artigo mostramos o conceito de glosa hospitalar e como evitar sua ocorrência no setor público. Conheça o Hygia – Sistema de Gestão da Saúde Pública, acesse nosso site e conheça as funcionalidades da solução!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *