Em 2010, a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, celebrado no próximo 28 de julho. Dados do Ministério da Saúde indicam que, no Brasil, mais de 70% das mortes por este tipo de caso são decorrentes da Hepatite C, seguida da Hepatite B (21,8%) e da Hepatite A (1,7%).

A fim de conscientizar a população quanto a este cenário e reduzir os índices da doença no país, foi criado o Julho Amarelo, a partir da lei 13.802/19, que prevê a realização da campanha a cada ano em território nacional.

Apenas em 2017, o Brasil registrou 40.198 novos casos de hepatites virais. Outro dado alarmante neste quadro é o seguinte: de acordo com a OMS, 1,7 milhão de mortes no mundo foram provocadas por complicações das diferentes hepatites, como cirrose e câncer hepático.

julho amarelo

Desafio

O principal desafio para combater as hepatites virais é a falta de conhecimento para identificá-las. Uma vez que não possuem sintomas, as pessoas têm dificuldade em saber quanto estão infectadas. Deste modo, além de não se tratarem, acabam disseminando a doença. É recomendado, portanto, que se realize o teste para Hepatite C ao menos uma vez na vida, para que a condição seja diagnosticada e tratada o quanto antes.

Transmissão

As hepatites virais – principalmente A, B e C – podem ser transmitidas pela água e por alimentos contaminados. A transmissão também é possível por meio de contato sexual, fluidos corporais (com o compartilhamento do mesmo barbeador ou aparato de manicure, por exemplo) e verticalmente (de mãe para filhos). Por isso, a disseminação é tão comum e rápida.

julho amarelo

Sintomas

As hepatites são condições que podem não apresentar sintomas. Contudo, quando aparecem, os sintomas podem incluir:

  •  Cansaço
  • Febre
  • Mal-estar
  • Tontura
  • Enjoo
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Pele e olhos amarelados
  • Urina escura
  • Fezes claras

Prevenção

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B. Quem se vacina para o tipo B, também se protege contra a Hepatite D. A imunização é oferecida gratuitamente pelo SUS.

Para os demais tipos do vírus, não há vacina, e o tratamento é indicado por profissionais de saúde.

Tratamento

Por meio de um teste rápido, pode-se saber, em até 30 minutos, se uma pessoa tem algum tipo de hepatite. Para realizá-lo, basta procurar uma unidade de saúde do SUS. O exame é feito a partir da coleta de uma gota de sangue da ponta de um dedo.

Não há tratamento para a forma aguda da hepatite, apenas para seus sintomas, como náuseas e vômitos. O repouso é uma das principais recomendações para quem contrai a doença, já que o paciente pode ficar bastante debilitado com o passar do tempo.

Sendo assim, o descanso é importante até que os valores das análises hepáticas voltem ao normal. A maior parte das pessoas costuma se restabelecer por completo dentro de cinco semanas.

julho amarelo

Ações da campanha Julho Amarelo

Ao longo deste mês, as ações do Julho Amarelo vêm sendo realizadas em diversas cidades do país. Elas incluem a realização de testes rápidos em espaços públicos, distribuição de preservativos femininos e masculinos, orientações sobre cuidados e detecção das hepatites virais, além de oferta de materiais educativos.

A finalidade é despertar a atenção para as iniciativas de vigilância, prevenção e controle do agravo destas doenças.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *