Processo de Acolhimento na SaúdePowered by Rock Convert

Adotar métodos de gestão como Lean Healthcare é importante para que os processos sejam executados com eficiência e agilidade na gestão da saúde pública.

Entre os benefícios deste recurso, estão redução de custos, melhora na qualidade de assistência aos pacientes, além de organização mais eficiente da jornada de trabalho dos funcionários.

Continue a leitura e saiba mais!

Lean Healthcare: O que é?

Derivado do Toyotismo, sistema de produção industrial de mercadorias desenvolvido no Japão após a Segunda Guerra Mundial, o conceito de Lean Healthcare engloba um conjunto de métodos de gerenciamento na área da saúde que objetiva a criação de valor máximo para os pacientes, redução de desperdícios e de tempo de espera.

Toyotismo

Posterior ao Fordismo, com início a partir da década de 1970, o toyotismo rompe com o padrão de produção em massa e estocagem máxima de matérias-primas.

Um dos principais pilares deste novo modelo de produção é a eficiência e o atendimento ao mercado consumidor de acordo com a demanda.

Bem, agora que sabemos o conceito do toyotismo, o entendimento do Lean Healthcare fica mais fácil.

O método utiliza ciclos contínuos de aprendizagem com foco nos seguintes pontos:

  • Processos de cuidados de saúde;
  • Pacientes;
  • Prestadores de cuidados de saúde pessoal;
  • Pessoal de suporte.

Com a implementação do Lean Healthcare, há a otimização na gestão do sistema de saúde, visto que há a redução no tempo de admissão do paciente, coleta e atendimento médico, assim como melhorias no gerenciamento de produtos e nos indicadores da duração de estadia do paciente, entre outros aspectos.

Já em relação aos profissionais de saúde, proporciona maior satisfação dos colaboradores e eficácia na determinação do tempo investido a cada paciente.

Este é um método de gestão composto por seis princípios, que explicaremos a seguir.

1- Melhoria Contínua

Princípio refinado por Edwards Deming, o Deming Cycle é a base do “Plan-Do-Study-Act” (PSDA), pilar fundamental da metodologia, e a sua aplicação é realizada no trabalho cotidiano. 

Aqui, define-se uma hipótese explícita e mensurável referente à melhoria de um determinado processo.

Caso ela aconteça, esse novo processo torna-se padrão, até que novas melhorias possam ocorrer de forma cíclica.

O gestor deverá compartilhar seu papel de solucionador de problemas com a equipe que, de fato, está mais próxima do problema a ser resolvido. 

Dentre os resultados esperados, estão a melhoria no desempenho do profissional de saúde e a melhor interação no trabalho em conjunto, com a elevação dos padrões e implementação de inovação.

2- Criação de Valor

A implementação da metodologia Lean na saúde tem como objetivo a melhora das atividades realizadas no setor. 

Com uma gestão adequada, eficiente e ágil, o paciente é o principal beneficiado, já que todo o processo, desde a sua admissão na unidade de saúde, é pautado pela melhoria contínua. 

O gerenciamento de recursos, leitos, medicamentos e insumos está em pauta no Lean Healthcare, já que um de seus pilares fundamentais é evitar desperdícios.

Dentre os aspectos incluídos no princípio de criação de valor, podemos citar:

  • Menos erros de medicação;
  • Menos infecções;
  • Troca de sala cirúrgica de forma mais rápida;
  • Melhora na comunicação da equipe de atendimento;
  • Mais agilidade no tempo de resposta para casos de emergência.

Além da questão relacionada à gestão dos recursos financeiros de forma eficiente, também há o valor percebido pelo paciente e seus familiares, quanto à humanização no atendimento e experiência geral concebida com a assistência médica.

A prática proporciona respostas a questões como:

  • Quem é afetado pelos processos alterados e de que maneira?
  • Os benefícios aumentam?
  • As cargas diminuem?

3- Unidade de Propósito

Sabemos que nas instituições de saúde o tempo parece ser curto para dar conta de tantas atividades. 

Porém, com a utilização de um sistema de gestão da saúde, aliado à prática do método Lean, o cenário é melhorado de forma expressiva.

O foco desta metodologia é o esclarecimento de prioridades e a orientação dos profissionais no trabalho de melhoria dos processos.

O gestor deve comunicar, de forma clara, categorias de metas estratégicas que são relevantes para toda a instituição, cujo objetivo é o fortalecimento da organização.

É importante atentar-se aos modelos estratégicos, a seguir:

→ Projetos de melhorias: “Como” realizar determinadas atividades;

→ Metas priorizadas: “O que” deve ser priorizado como meta estratégica.

Norte Verdadeiro

É uma estrutura de gestão, em que o paciente é colocado no centro de um triângulo. Em cada ponta, são dispostas categorias de objetivos estratégicos. 

Duas métricas são destinadas à medição do progresso de cada categoria de meta, e a outra é exclusiva para o paciente, em que relata o seu índice de fidelidade.

Os processos de melhorias são dispostos em quadros de trabalho em todos os departamentos e unidades dos sistemas de hospitais, clínicas e escritórios administrativos.

4- Respeito pelas Pessoas

Apenas 4% dos erros são provocados pelas pessoas envolvidas no processo ou por uma variação especial nos processos. O Lean é concentrado na criação de processos seguros e, também, na segurança do ambiente de trabalho.

É preciso que haja a compreensão de que um erro em um procedimento ou em uma medicação geralmente está associado a uma sequência de erros menores que foram ignorados ou não identificados.

5- Princípio Visual

A exposição da problemática permite que todos os envolvidos compreendam a situação real e se engajem na resolução e seu acompanhamento.

Um dos métodos que podem ser utilizados é o Kanban, de origem japonesa, em que há o uso de cartões de sinalização que controlam o fluxo de produção, cujo objetivo é o aumento da eficiência na instituição que adotou a metodologia.

Sendo assim, para tornar os processos mais seguros e evitar desperdícios, os problemas são tornados visíveis.

6- Princípio de Padronização com Flexibilidade

O sistema de saúde como um todo, seja da rede suplementar ou complementar, tem como um dos desafios a variabilidade nas demandas de atendimentos.

A estabilização das variáveis ao longo do tempo requer a capacidade de lidar com mudanças e colocar a flexibilidade em prática. 

É preciso, por parte dos gestores, a criação de mecanismos para que haja a suavização dos processos.

Leia também: Sistema de gestão em saúde: Como implantar em municípios pequenos?

Lean Healthcare: Conheça o Mapa de Fluxo de Valor

O Mapa de Fluxo de Valor (MFV) faz parte do método Lean. Consiste em um diagrama que mostra detalhadamente as etapas de um processo de trabalho, contemplando o fluxo de pessoas, materiais e informações.

Dentre os seus objetivos, podemos citar a facilitação da visualização e do entendimento dos procedimentos de trabalho, permitindo a melhoria através da eliminação de etapas que não agreguem valor. 

A verificação de opções mais seguras, eficientes ou eficazes faz parte do MFV que deve ser criado, em conjunto, por uma equipe multidisciplinar.

Lean Healthcare

Método Kanban

 

Vantagens do Lean Healthcare

Agora que conhecemos bem o conceito e princípios do Lean, vamos entender as vantagens de sua implementação, aliada à utilização de um sistema de gestão da saúde, como o Hygia, que também conta com módulo de gestão de farmácia e insumos, reduzindo desperdícios.

  • Monitoramento e otimização do tempo do profissional de saúde investido em pacientes. Há identificação da necessidade de profissionais conforme o quadro do paciente.
  • Redução no tempo de espera: aqui há a avaliação dos motivos de atrasos em resultados de exames, processos de alta hospitalar e demais problemas, a fim de resolvê-los de forma ágil e eficiente.
  • Controle de insumos e medicamentos: este é um setor que requer atenção, pois é um dos geradores de desperdícios nas unidades de saúde. A utilização de um sistema de gestão da saúde, em conjunto com a prática da metodologia Lean, possibilita uma organização eficiente da quantidade de estoque dos medicamentos e, também, de funcionários que serão responsáveis pelo setor.
  • Mitigação de erros médicos: com um bom planejamento, o Lean Healthcare possibilita melhor atenção à realização de exames e à administração de medicamentos, para que não ocorram exageros ou equívocos que possam ser letais.

Leia também: Biossegurança: Por que é importante na gestão de medicamentos?

Como implementar o Lean Healthcare?

Para que essa metodologia seja aplicada com eficiência, o ideal é implementá-la aos poucos, através da divisão de departamentos na instituição de saúde.

É preciso que todos os envolvidos conheçam o  conceito. Portanto, vale investir em capacitação dos profissionais!

Utilizar o Kanban, citado anteriormente, é outra estratégia que pode ser adotada ao implementar a filosofia Lean.

Neste artigo, você conheceu o Lean Healthcare, seus princípios e vantagens para as instituições de saúde. Conheça também o Hygia, Sistema de Gestão da Saúde voltado ao setor público. Acesse nosso site e saiba mais!

Até a próxima!

Lei Geral de Proteção de DadosPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *