“No trânsito, o sentido é a vida” é o tema da campanha maio amarelo 2019. Acidentes são principal causa de morte entre jovens de até 24 anos.

É possível que você já tenha notado que os meses ganharam, cada um, a sua cor. A ideia deste tipo de iniciativa é suscitar reflexões direcionadas a temas relevantes para a sociedade ao longo do ano. O outubro rosa, por exemplo, chama a atenção para as iniciativas de prevenção ao câncer de mama; o novembro azul destaca o quão importante é o diagnóstico precoce para a cura do câncer de próstata; e o janeiro branco alerta a necessidade de cuidarmos de nossa saúde mental. Estes são alguns exemplos que refletem o nível das discussões e imprescindibilidade dos debates levantados nestes períodos.

maio amarelo

Maio amarelo

Neste cenário, está inserido também o maio amarelo, campanha que leva no nome a cor da luz de atenção nos semáforos de trânsito, a fim de aludir aos acidentes que ferem e matam milhares de pessoas no país anualmente. O mês de maio foi o escolhido para as ações porque, em 11 de maio de 2011, a Organização das Nações Unidas (ONU) decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito.

Dados do Ministério da Saúde indicam que, todos os anos, cerca de 37 mil pessoas morrem e outras 180 mil ficam feridas no trânsito brasileiro. No mundo, o número de óbitos é de 1,3 milhão, enquanto o de indivíduos lesados atinge a marca dos 30 milhões. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece os acidentes de trânsito como epidemia de saúde pública, que figuram como a principal causa de morte entre jovens de até 24 anos.

Campanha 2019

Neste ano, a campanha maio amarelo é realizada com o tema “No trânsito, o sentido é a vida”. Em âmbito nacional, a iniciativa busca conscientizar a população quanto às formas de prevenir as mortes causadas pelos acidentes no trânsito. Para tanto, propõe que todos se envolvam diretamente em ações e reflexões voltadas a uma nova maneira de tratar a mobilidade.

O convite é para que condutores de todos os tipos de veículos (automóveis, motocicletas, ônibus, caminhões, vans ou, até mesmo, bicicletas), assim como pedestres e passageiros, escolham um trânsito mais seguro.

maio amarelo

#MEOUÇA

O Observatório Nacional de Segurança Viária e a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) criaram um mote para a campanha, a hashtag #MEOUÇA. Seu propósito é sensibilizar os adultos por meio de conselhos oferecidos por crianças. Clique aqui para acessar o vídeo da campanha.

Aliás, as peças desenvolvidas para a divulgação da iniciativa estão disponíveis em alta resolução no site Movimento Maio Amarelo, para que possam ser utilizadas livremente por municípios, empresas e entidades que estimulem e ampliem reflexões e ações para um trânsito mais seguro.

Redução de mortes

No Brasil, os óbitos por acidentes de trânsito estão em queda. Um levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde no ano passado indicou que, em seis anos, houve uma redução de 27,4% das mortes nas capitais do país. Enquanto em 2010 foram registrados 7.952 óbitos, em 2016, o número foi de 5.773. Portanto, aconteceu uma diminuição de 2,1 mil mortes no período.

Ainda assim, estamos longe da meta estabelecida pela ONU, que prevê redução de 50% no número de vítimas em 10 anos, contados a partir de 2011. Um relatório da OMS apontou que o Brasil fica em quinto lugar entre os países recordistas quando se tratam de mortes no trânsito, apenas atrás de Índia, China, Estados unidos e Rússia.

Mais de 60% dos leitos hospitalares do SUS (Sistema Único de Saúde) são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito. Nos centros cirúrgicos brasileiros, 5% da ocupação são também por vítimas deste tipo de acidente. Os custos anuais decorrentes dos acidentes no trânsito chegam a R$ 52 bilhões, de acordo com o Observatório de Segurança Viária.

maio amarelo

Lei Seca

A redução no número deste tipo de morte no Brasil pode estar vinculada às ações de fiscalização realizadas após a Lei Seca, que completou dez anos de vigência em 2018. A legislação culminou em punições mais duras para quem dirigir alcoolizado.

Um estudo do Observatório de Segurança Viária indicou que há eficácia da Lei Seca apenas nos estados que fazem o maior número de blitz de fiscalização. Por aqui, a taxa média nacional de fiscalização é de 1 a cada 500 veículos da frota total do país; já em países como Espanha e Portugal, esta média é de 1 a cada 5 veículos da frota.

Gostou deste artigo? Então, deixe nos comentários a sua opinião ou sugestão de outros temas para abordarmos no Blog do Hygia! Até a próxima!

 


1 comentário

Junho vermelho conscientiza sobre importância da doação de sangue | Blog Hygia · 5 de junho de 2019 às 16:55

[…] que precisa, aliás, ser contínua – foi criada a campanha junho vermelho. A iniciativa sucede o maio amarelo, ação que alerta sobre os índices de acidentes de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *