Cada indivíduo tem seu papel definido a ser desenvolvido no ambiente profissional. Setores administrativos e técnicos estão em acentuado processo de integração, aonde o grande desafio da classe médica é a gestão da saúde pública.

Na área de saúde, um dos papéis importantes é o do médico, que detém a arte de promover a saúde e o bem-estar dos pacientes.

Como em qualquer área, as instituições de saúde, sejam públicas ou privadas, também têm a equipe de gestão da saúde responsável pela visão estratégica, que prima pela resolução de qualquer ocorrência que possa acarretar em algum risco à organização.

Quando pensamos na figura do médico, imaginamos um profissional restrito ao seu consultório e/ou aos corredores e leitos dos hospitais. Porém, não é bem assim.

O médico, há mais de 50 anos, era um profissional liberal com a capacidade de gestão menos desenvolvida.
A mudança do cenário da saúde com novas práticas e métodos de assistência ao paciente implica no desenvolvimento de habilidades do médico que, antes, era mais condicionado à sua especialidade escolhida.

Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) aponta que o total de médicos em atividade no país é de 475.832. Confira nosso artigo sobre as demandas em saúde: Saiba mais!

Os gastos públicos são de apenas 45,7% do total destinado à saúde.

Já em países como Reino Unido, França e Alemanha, os números aumentam consideravelmente, passando a ser 83,6%, 76,7%, 76,7% e 13%, respectivamente.

A gestão de saúde pública concentra seus esforços para uma administração das instituições de saúde da Rede Própria do Estado, de forma que atenda e proporcione acesso à saúde de qualidade aos mais de 145 milhões de brasileiros que dependem da saúde pública no Brasil. Saiba mais!

DESAFIO: O MÉDICO COMO GESTOR DA SAÚDE PÚBLICA

 

gestão da saúde pública

O médico também exerce função de gestor.

Há uma convergência da área administrativa com a medicina, em que os médicos têm que desenvolver o papel de gestores da saúde. Esta prática vem se intensificando ao longo do tempo.

Isso se reflete quando o profissional pensa estrategicamente – porém sem prejudicar o paciente –, ao prescrever determinado medicamento, solicitar determinado exame ou avaliar o tempo de internação, entre outras condutas.

A medicina, neste caso, deixa de ser meramente arte e passa a ser negócio. Já parou para pensar nisso?

No setor público, o médico precisa atuar com uma visão de gestor ao avaliar, por exemplo, a necessidade de um paciente realizar determinado procedimento ou o tempo de internação, já que implica em custos elevados.

O papel do médico na gestão pública não se resume apenas ao exercício da medicina como negócio. O simples fato de ele liderar sua equipe multidisciplinar de profissionais de saúde denota seu desempenho na arte da gestão.

CONFIANÇA: A HUMANIZAÇÃO NA GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA

A humanização na saúde pública é um tema recorrente nas discussões sobre políticas de gestão. Existente desde 2003, a Política Nacional de Humanização (PNH) é vinculada à Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde e visa uma maior integração entre gestores, funcionários e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com objetivo de proporcionar uma experiência de excelência aos usuários, a Política Nacional de Humanização efetiva os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) nas práticas de gestão e atenção na saúde pública.

A prática da humanização na saúde é a personalização do atendimento.

Consultas apressadas e superficiais não devem fazer parte do método de assistência ao paciente.

O médico recebe o paciente, conversa olhando nos olhos e consegue levantar dados clínicos relevantes para a conduta a ser efetuada. O paciente é colocado no centro do cuidado e a empatia prevalece.

A relação médico-paciente deve ser estabelecida com a mais pura confiança, entre ambas as partes.

O paciente precisa confiar que o médico fará o melhor para prover a sua saúde e o médico precisa confiar no paciente, que ele vá seguir todos as orientações recomendadas.

Assim, a jornada do atendimento humanizado segue seu fluxo e todos saem satisfeitos.

SISTEMAS EM GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA: ENTENDA SUA IMPORTÂNCIA

A utilização de sistemas de gestão da saúde pública tem um papel fundamental no setor, visto que possibilita um maior controle na dispensação de medicamentos, gerenciamento na utilização dos insumos no ambiente hospitalar, controle de atendimentos e, claro, não poderíamos deixar de lado, informatização do prontuário eletrônico dos pacientes (PEP) no SUS.

O setor administrativo da instituição de saúde, seja ela pública ou privada, requer integração com as demais áreas, a fim de possibilitar uma gestão com visão global e tomadas de decisões mais estratégicas e eficientes.

É interessante que o médico exerça o papel de gestor, mas sem deixar sua frente de atuação principal que é a medicina.

O maior desafio é equacionar gastos x prioridade de atendimento, em que é necessário o estabelecimento de uma linha justa de atendimento dos pacientes.

Para o auxílio na gestão em saúde pública, a utilização de ferramentas e softwares são fundamentais para um desempenho controlado e eficiente da instituição de saúde.

VOCÊ CONHECE O HYGIA?

O Hygia é um software de gestão de saúde, que se adapta às demandas de seu município, promovendo a informatização das suas Unidades Básicas de Saúde (UBS), integrada à Atenção Especializada, Farmacêutica e Urgência / Emergência.

A seguir, você confere alguns desafios a serem cumpridos pela gestão pública em saúde. O software auxilia no desempenho das atividades, promovendo uma atuação baseada na eficiência e agilidade:

• Cumprimento das obrigações com o DATASUS
• Gestão de filas e agendamentos
• Gestão de medicamentos
• Economia de recursos
• Prevenção e resolutividade
• Integração das informações de diversos serviços

A solução em gestão da saúde pública oferece, serviços customizáveis de acordo com a demanda do contratante.

Conheça-nos clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *