Processo de Acolhimento na SaúdePowered by Rock Convert

Os protocolos de saúde são considerados importantes instrumentos para o enfrentamento de diversos problemas tanto na assistência ao paciente, quanto na gestão dos serviços da unidade de saúde.

As instituições de saúde tanto da rede privada, quanto do Sistema Único de Saúde (SUS), utilizam protocolos de saúde em suas iniciativas.

A utilização dos protocolos é uma das estratégias fundamentais que impacta não só no processo de planejamento, implementação e avaliação das ações, mas, também, na padronização do processo de trabalho.

O enfrentamento da pandemia causada pela disseminação descontrolada do SARS-Cov-2, vírus causador da Covid-19, vem exigindo a adoção de protocolos de saúde, voltados à organização das unidades e, também à clínica, na assistência aos pacientes.

Neste artigo vamos explicar como os protocolos de saúde são implementados, a importância da sua utilização no enfrentamento da Covid-19 e muito mais!

Continue conosco!

Protocolos de saúde: Entenda o seu conceito!

A adoção de protocolos de saúde passou a fazer parte da rotina da maioria dos municípios brasileiros.

Vale ressaltar que os protocolos que vêm sendo adotados na maioria dos municípios são produzidos e divulgados pelo Ministério da Saúde ou pelas Secretarias Estaduais.

Os protocolos de saúde são estratégias fundamentais tanto no processo de planejamento, implementação e avaliação das ações, quanto na padronização das ações e do processo de trabalho. 

A sua utilização pelos gestores das unidades de saúde é de extrema importância para a obtenção da segurança e qualidade dos serviços oferecidos pela instituição à população.

Sendo assim, podemos dizer que os protocolos de saúde são orientados por diretrizes de natureza técnica, organizacional e política, e, têm como fundamentação, estudos validados pelos pressupostos das evidências científicas. 

Por serem direcionados por diretrizes diferenciadas, os protocolos acabam por ser agrupados quanto à natureza, como protocolos clínicos  e de organização de serviços. Entenda a diferença entre eles, a seguir:

  • Protocolos clínicos: São instrumentos direcionadores da atenção à saúde dos usuários, apresentando características voltadas para a clínica, ações preventivas, promocionais e educativas.
  • Protocolos de organização dos serviços: São instrumentos voltados à gestão dos serviços, abrangendo a organização do trabalho em uma unidade e no território, os fluxos administrativos contidos na proposta dos serviços em rede, os processos de avaliação e a constituição do sistema de informação, estabelecendo as interfaces entre as diversas unidades, entre os níveis de atenção (marcação de consultas, referência e contrarreferência) e com outras instituições sociais.

Qual a importância dos protocolos de saúde no enfrentamento da Covid-19?

Com a disseminação do novo coronavírus, de forma descontrolada, foi preciso adotar medidas com protocolos emergenciais.

 De acordo com o anexo II do Regulamento Sanitário Internacional, a doença viral causada pela infecção pelo SARS-CoV-2 é considerada uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII). Ou seja, trata-se de um evento de saúde pública de notificação imediata.

Diante deste cenário emergencial, o Ministério da Saúde produziu um documento onde constam protocolos oferecendo orientações aos gestores e profissionais de saúde sobre o manejo dos pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 nos diversos pontos da Rede de Atenção à Saúde, com foco em assistência mais qualificada e ágil, desde os pacientes assintomáticos, até aquele com manifestações severas da doença.

Como organizar os serviços e o fluxo de pacientes na unidade de saúde?

Várias medidas foram adotadas pelas Secretarias Estaduais e Municipais de saúde, no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Dentre os protocolos de saúde e clínicos adotados, estão:

  • Designação de profissionais dedicados exclusivamente ao acolhimento e indicação do fluxo diferenciado aos pacientes com sintomas respiratórios;
  • Realização da classificação de risco na porta de entrada da unidade de saúde e encaminhamento subsequente para atendimento, objetivando assim, a diminuição do fluxo de pessoas em circulação, o tempo de contato entre pacientes e a disseminação do vírus;
  • Orientação de uso de máscara para pacientes com sintomas respiratórios, conforme protocolo local. Realização do seu encaminhamento, em seguida, para a área de espera exclusiva, além da orientação para higienização das mãos com água e sabão e álcool gel 70% para evitar a contaminação do espaço de atendimento;
  • Arejamento do ambiente de assistência. Caso haja ventiladores, o fluxo de ar deverá ser ajustado na direção contrária ao profissional de saúde durante a assistência ao paciente, além de manter a atenção para a limpeza frequente dos dispositivos. 
  • Caso o paciente esteja assintomático respiratório, deverá seguir o fluxo normal do serviço no qual deu entrada, para a investigação de outras patologias.

Vantagens dos protocolos de saúde para as instituições de saúde

Agora que entendemos o conceito e funcionamento da implementação dos protocolos de saúde nas unidades de atendimento médico, vamos conhecer algumas das suas vantagens para as instituições de saúde:

  • Gestão de estoque de insumos e medicamentos: Realizá-la de forma eficiente evita desperdícios, fraudes, além de permitir o armazenamento de forma consciente de forma que não haja falta de medicamentos e insumos na unidade de saúde.
  • Segurança do Paciente: Por meio dos protocolos adotados pela instituição de saúde é possível a redução de erros e falhas, além de preparar a instituição para atender determinadas doenças, como a Covid-19, de forma mais ágil e eficiente. Além disso, os gestores conseguem monitorar todos os processos e pessoas envolvidas, além de ratificar um modelo de gestão que identifica melhorias na assistência ao paciente.

Portaria GM/MS 816, de 31/05/2005

A Portaria GM/MS 816, de 31/05/2005, constitui o Comitê Gestor Nacional de Protocolos de Assistência, Diretrizes Terapêuticas e Incorporação Tecnológica em Saúde, e dá outras providências.

De acordo com o art. 3º da Portaria, algumas das competências do Comitê, podem ser definidas por:

  • Analisar e propor critérios e estratégias de desenvolvimento e avaliação permanente de protocolos clínicos e assistenciais, diretrizes terapêuticas e incorporação tecnológica no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS);
  • Analisar e propor a incorporação de protocolos clínicos e assistenciais, diretrizes terapêuticas, tecnologias, insumos e inovações voltadas à assistência à saúde, tendo por base o perfil epidemiológico da população brasileira, as prioridades do SUS, estudos de impacto e custo-efetividade e as evidências científicas existentes, revendo-os periodicamente;
  • Identificar os protocolos e diretrizes assistenciais existentes e em elaboração, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS e da assistência suplementar;
  • Revisar os protocolos clínicos e assistenciais existentes;
  • Elaborar e aprovar o seu regimento.

Os protocolos de saúde e clínicos, também podem – e devem – ser aliados a um sistema de gestão da saúde pública, como o Hygia. 

Digitalizar todos os dados da instituição de saúde, além de proporcionar eficiência no gerenciamento, também facilita o cruzamento de informações, análise de conduta, servindo ainda, como parâmetros para localização e resolução de possíveis gargalos que possam estar presentes na prestação de serviços médicos.

Além disso, o gestor também conta com a possibilidade de visualizar cenários e traçar estratégias a fim de antecipar desafios e assim, obter auxílio na tomada de decisão e gerenciamento de risco de forma mais assertiva e ágil.

O Hygia é um sistema de gestão da saúde desenvolvido para automatizar processos e promover a integração entre as unidades de saúde da rede pública.

Desta forma, garante mais eficiência para a gestão da saúde, com redução de filas e assistência humanizada.

Neste artigo você pôde conferir a importância da adoção de protocolos de saúde nas instituições, inclusive para o enfrentamento à pandemia de Covid-19!

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais! Acesse nosso site e saiba como o Hygia pode ajudar na informatização da instituição de saúde do seu município.

Foto: Duque de Caxias, (Brasil), Maio, 20, 2020 por Photocarioca


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *