Processo de Acolhimento na SaúdePowered by Rock Convert

Para que as instituições de saúde possam funcionar de maneira segura e eficiente, é fundamental contar com a gestão da qualidade. 

O gestor da qualidade é responsável pelo planejamento, revisão de processos, acompanhamento de performance, realização de melhorias constantes, entre outras atividades, sempre buscando manter o padrão de qualidade para a segurança do paciente e o funcionamento adequado da unidade de saúde.

O Ministério da Saúde publicou em março de 2011, uma portaria referente ao projeto QualiSUS que visa, dentre outros objetivos, o fortalecimento da regionalização,  contratualização, regulação do acesso, responsabilização dos gestores e da participação social, no âmbito da saúde pública.

Neste post, você vai entender o que é gestão da qualidade no SUS e a sua importância na gestão eficiente!

Continue conosco!

O que é Gestão da Qualidade?

Como dissemos no início deste post, a gestão da qualidade deve ser baseada na manutenção e melhorias dos padrões de desempenho, por meio da prestação de serviços, participação e envolvimento dos membros da instituição, sempre considerando os aspectos éticos.

A gestão da qualidade também é voltada à satisfação das expectativas e necessidades dos pacientes por meio de um gerenciamento dos processos baseado em fatos e dados, objetivando a correção e mitigação de erros e falhas.

Em 04 de março de 2011, o Ministério da Saúde publicou a Portaria 396 que institui o Projeto de Formação e Melhoria da Qualidade de Rede de Saúde (Quali-SUS-Rede) e suas diretrizes operacionais gerais.

Leia também: Telerradiologia: Entenda a importância da tecnologia na geração de laudos digitais

De acordo com o parágrafo único, o QualiSUS-Rede tem como objetivo a contribuição, no âmbito do Sistema Único de Saúde, para a qualificação da atenção e da gestão em saúde, por meio da organização de redes regionais e temáticas de atenção à saúde e da qualificação do cuidado em saúde.

O art. 2º dispõe dos objetivos do QualiSUS, que veremos a seguir:

  • A organização, no âmbito do SUS, de redes de atenção à saúde que considerem o protagonismo da atenção primária no seu ordenamento;
  • A priorização dos investimentos na atenção especializada (ambulatorial e hospitalar), na atenção de urgência e emergência e no aprimoramento dos sistemas logísticos de suporte à rede;
  • Aumento da eficiência alocativa e produtiva do SUS;

Leia também: Taxa de ocupação hospitalar: Saiba sua importância para a gestão da saúde eficiente

  • A instituição e o aprimoramento dos mecanismos de gestão das redes de atenção à saúde;
  • Qualificação do cuidado em saúde, incentivando a definição e implantação dos protocolos clínicos, linhas de cuidado e processos de capacitação profissional;
  • Melhoria da efetividade e da resolubilidade da prestação dos serviços em saúde para as populações cobertas pelo projeto;
  • Produção, sistematização e difusão dos conhecimentos voltados à melhoria da qualidade da atenção e da gestão em saúde, ao desenvolvimento de metodologias e processos de avaliação e gestão da qualidade e à gestão da inovação tecnológica em saúde;

A implementação do programa de gestão da qualidade do Sistema Único de Saúde é pautada por estratégias, sendo uma delas relacionada  à tecnologia:

Art. 3º. IVInvestir prioritariamente na atenção especializada (ambulatorial e hospitalar) de média complexidade e de urgência e emergência, dando prioridade para a adequação da capacidade instalada de serviços de saúde e do parque tecnológico; para o desenvolvimento de recursos humanos e para a implementação de novos processos e tecnologias de gestão.

Gestão da qualidade

Qual o papel do profissional da qualidade em saúde?

Agora que entendemos o conceito e a importância da gestão da qualidade no SUS, saiba qual é o papel do gestor neste cargo.

O controle da qualidade foi adotado em busca de eficiência e eficácia dos processos, altos índices de desempenho, entre outros. Dentre as mudanças requeridas na implementação da gestão da qualidade, estão:

  • Visão sistêmica da organização com seus processos institucionais
  • Transformação dos indivíduos, com ações dirigidas por novos paradigmas, buscando auto realização e inovação, estímulo ao desenvolvimento de novas capacidades, criatividade e alta produtividade. 

O gestor possui papel fundamental neste processo, já que em algumas instituições de saúde, ele pode ocupar esferas decisórias como planejamento estratégico da organização, podendo integrar metas da qualidade relacionadas aos objetivos macroinstitucionais.

Confira outras atividades do gestor da qualidade:

  • Otimizar processos
  • Promover agilidade e fluidez nos processos internos
  • Gestão  hospitalar 
  • Gestão de clínicas
  • Gestão de laboratórios

Entre outros.

Resumindo, o gestor da qualidade deve orientar os colaboradores, definir diretrizes e apontar o objetivo.

Neste post você entendeu a importância da gestão da qualidade na saúde pública e pôde compreender o papel do profissional neste processo.

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais. Conheça o Hygia, nosso sistema de gestão da saúde pública.

Acesse nosso site e conheça todas as funcionalidades da solução!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *