Processo de Acolhimento na SaúdePowered by Rock Convert

O prontuário é um dos principais documentos durante o processo de atendimento ao paciente. Com a digitalização, é possível obter essas informações em um só lugar.  

O Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) é uma tecnologia que facilita a obtenção de dados do paciente com poucos cliques e fácil acesso. Ele permite armazenar, registrar e controlar dados, o que tem gerado redução no tempo de espera e melhor avaliação do quadro clínico.   

Mas então, surgem diversas dúvidas, entre elas: como escolher o melhor sistema para implementar o PEP?  

Confira o nosso artigo e entenda essa e outras questões acerca do tema!  

Quais as principais diferenças entre o PEP e o prontuário de papel?  

Amplamente utilizado e difundido, o prontuário de papel se diferencia bastante do eletrônico. Com a chegada do digital, a utilização ficou mais obsoleta, devido a características e agilidade que a papelada não entrega nas atividades de rotina, o que é um grande diferencial do PEP.   

O PEP surgiu como uma solução eficiente para tornar os atendimentos mais ágeis e simplificar todo o processo. Conforme a necessidade de um ambiente mais dinâmico e de registros com fácil acesso, o prontuário eletrônico ganhou espaço.   

Com tudo o que foi citado, imagine a dificuldade em encontrar a documentação em meio a tantos pacientes que passam por dia em uma unidade de saúde? Por isso, podemos dizer que a acessibilidade é um dos principais diferenciais, juntamente ao custo, segurança e mobilidade, sendo bastante útil, inclusive, para a telemedicina.  

Com a implantação do PEP, a sua gestão terá: 

  • Produtividade; 
  • Agilidade; 
  • Inovação tecnológica; 
  • Eficiência operacional. 

E muito mais! 

De acordo com o estudo TIC Saúde 2019, 25% das instituições de saúde brasileiras ainda utilizam apenas o papel para o registro de informações clínicas e cadastrais de pacientes. No entanto, o número vem diminuindo consideravelmente em comparação ao ano de 2017, que apresentava 49% das informações registradas em papel.  

Já o TIC Saúde de 2021, apresenta um número expressivo, em que aponta que no setor público, 85% dos estabelecimentos de saúde pública já têm acesso à internet. Esse número apresenta um cenário favorável à digitalização e absorção de novas tecnologias ao dia a dia da gestão de saúde pública. 

O PEP oferece diversas vantagens, que comparadas ao prontuário de papel, se tornam muito superiores. A redução dos custos, a agilidade, segurança contra violação e ação do tempo, por exemplo, são algumas das que o papel não consegue atender.  

Leia também: Sistema de Prontuário Eletrônico: Entenda sua importância na pandemia!  

Como funciona o Prontuário Eletrônico do Paciente?  

O Prontuário Eletrônico do Paciente armazena dados por meio de sistemas, onde é possível acompanhar um paciente e conferir diversos detalhes, como as condições de saúde ou doenças ao longo da vida. Todos os dados armazenados podem ser utilizados para análises, tomadas de decisões e ações preventivas.   

No Brasil, o PEP foi implementado em 2002, pelo Conselho Federal de Medicina, de acordo com a resolução 1.638/02.  

Os sistemas permitem que tudo esteja organizado, entregando mais rapidez.   

Em um único sistema, é possível ter acesso a:  

  • Agendamentos;  
  • Medicamentos prescritos;  
  • Vacinas;  
  • Exames;  
  • Evolução médica;  
  • Laudos;  
  • Doenças.  

E muitas outras informações!  

Segundo o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) seis itens são obrigatórios em um prontuário médico: 

  • Identificação do paciente; 
  • Anamnese: histórico de sintomas descritos pelo paciente durante consulta; 
  • Exame físico; 
  • Hipóteses de diagnóstico; 
  • Diagnósticos definitivos; 
  • Tratamentos efetuados.

Além do PEP, também existe o Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC). Ambos são de iniciativas distintas, o PEC é uma versão mais básica já implementada na rede pública de saúde, nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). 

O PEP, por outro lado, pode ser utilizado tanto pelo setor privado, quanto pelo público. Ele apresenta muito mais funcionalidades e pode ser integrado por unidades de saúde pública, sem a necessidade de migração para a plataforma do SUS. 

O Hygia, por exemplo, oferece a possibilidade de integração de módulos aos sistemas de saúde oferecidos pelo SUS, como é o caso do Hygia Agendamentos, o primeiro a ser integrado ao app Hora Marcada, do Governo de São Paulo. 

Leia também: Prontuário Eletrônico é implantado na Fundação Alfredo da Matta (FUAM) em Manaus  

Prontuário Eletrônico do Paciente: como escolher um sistema?   

Escolher um sistema de Prontuário Eletrônico do Paciente é uma ação que exige muita pesquisa para entender o que está sendo entregue pelo mercado e melhor se adequa às necessidades da instituição de saúde.   

Confira, logo abaixo, alguns aspectos que não podem ser deixados de lado na hora de escolher um sistema:  

Dinamicidade e suporte  

É importante observar se o sistema permite dinamicidade. Também é importante contar com o suporte de uma equipe durante a implementação e após passada essa fase, para sanar todas as dúvidas e eventuais dificuldades no uso.  

Segurança  

Garanta, também, que o sistema é seguro, pois irá armazenar todos os dados que a sua instituição de saúde irá tratar.   

Personalização  

É importante que o sistema seja personalizável para, desse modo, integrar todas as informações necessárias para a evolução do atendimento ao paciente.   

Acessibilidade  

Mantenha a acessibilidade como prioridade na hora de escolher: certifique-se de que ele pode ser acessado de qualquer dispositivo conectado à internet. Com isso, serão eliminadas barreiras e a necessidade de se deslocar até uma sala de arquivos ou de utilização de um aparelho específico. 

Interação e independência  

Verifique a possibilidade de dar mais independência ao paciente e interação com a instituição de saúde. A criação de alertas de consulta, marcação de consultas por meio do paciente e envio de e-mails são alguns exemplos.  

Conheça o Hygia: sistema de gestão voltado para a saúde pública 

O Hygia é um sistema de gestão de saúde pública e clínicas universitárias, que automatiza diversos processos e promove a integração entre as unidades de saúde da rede pública. Ele promove mais qualidade de vida para pacientes e profissionais da área da saúde.   

Hoje, o sistema atende duas frentes: prefeituras e clínicas universitárias. Ao todo, ele se divide em quatro módulos, que entregam aos clientes mais humanização e praticidade na rotina de profissionais de saúde, gestores e pacientes.  

Conheça as especificidades de cada um dos módulos do Hygia! 

Hygia Lite 

O Lite é a versão indicada para cidades com menos de 100 mil habitantes e promove a informatização de UBSs, automatiza processos e está integrado à atenção especializada, farmacêutica e de urgência/emergência. 

A versão possibilita o acesso ao PEP e integração ao e-sus do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Hygia Full 

O Hygia Full é uma versão robusta, com todas as funcionalidades necessárias para municípios com população acima de 500 mil habitantes. A versão oferece automação de processos, economia de tempo, recursos e um atendimento muito mais humanizado. 

O sistema é personalizável e se adapta ao que a cidade necessita, possuindo uma instalação on-premise ou cloud.  

Hygia Agendamentos 

O Hygia Agendamentos oferece mais acessibilidade e rapidez no agendamento de consultas e exames. Ele agiliza processos que demandam a locomoção de pacientes, muitas vezes com estado crítico de saúde.  

Ele pode ser integrado ao sistema de gestão de saúde já utilizado por uma prefeitura, não sendo necessário a alteração do sistema utilizado na região. 

Hygia Universidades 

A versão específica para demandas de clínicas universitárias. O sistema controla os fluxos de atendimentos, administra recursos e entrega mais eficiência a estas unidades, responsáveis por oferecer acolhimento a uma parcela significativa da população. A versão também conta com o PEP. 

Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre o Hygia? Solicite uma demonstração gratuita aos nossos especialistas! 

Lei Geral de Proteção de DadosPowered by Rock Convert

3 comentários

Maurício Martiniano · 2 de setembro de 2021 às 17:30

Posso tentar agendar uma apresentação para a Secretaria de Saúde?

    Ellana Santos · 3 de setembro de 2021 às 11:01

    Olá, Maurício! Nossa equipe irá entrar em contato pelo e-mail exibido aqui para agendar uma apresentação do sistema.

Saúde 5.0: inovações tecnológicas e tendências para o setor • Blog Hygia · 3 de setembro de 2021 às 10:44

[…] Leia também: Prontuário Eletrônico do Paciente: entenda como escolher o melhor sistema  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *